Alvorada
  • Postado em 15/11/2012    |   12:50

Conheça as doenças da próstata

O Crescimento da próstata, conhecido como hiperplasia prostática benigna (HPB) é uma doença comum e pode acometer até 80% dos homens após os 65 anos de idade. Essa doença nem sempre é acompanhada de sintomas clínicos. Apenas 30% dos portadores de HPB apresentam sintomas e, portanto, merecem tratamento. Os sintomas, quando presentes são: jato urinário fraco e fino, sem pressão, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, dificuldade e/ou urgência para urinar.

Todos esses sintomas podem aparecer separados ou em conjunto e, em diferentes graus, afetam a qualidade de vida do paciente. Como alternativas de tratamento dispomos atualmente das medicações e da cirurgia. Esta última é feita mais frequentemente pela via uretral ( sem cortes) e, para próstatas muito volumosas ( com mais de 80g de peso estimado), utiliza-se a via aberta ou convencional.

Além da HPB, existe o câncer de próstata, que tanto amedronta os homens. É importante destacar que não há relação entre o aumento da próstata e o surgimento de câncer. Ou seja, o indivíduo que tem uma próstata com peso estimado em 60g tem o mesmo risco de desenvolvimento de câncer no órgão que um outro possuidor de uma próstata de 20g.

Portanto, neste caso vale a máxima: “Tamanho não é documento”! O câncer de próstata é o tumor maligno mais comum nos homens e a segunda causa de morte por câncer. Estima-se que no Brasil a cada hora morra ao menos um homem de câncer de próstata. Muitas destas mortes poderiam ser evitadas caso o diagnóstico da câncer fosse feito em fase precoce, inicial.

Nesta fase o câncer é assintomático, e o diagnóstico só será possível se os homens procurarem seus urologistas para a realização do exame de toque retal e para a dosagem do PSA ( antígeno prostático específico), substância produzida pela próstata que se encontra elevada no câncer. Em fase inicial a cura pode ser conseguida em cerca de 95% dos casos. Não se sabe exatamente o que causa o câncer de próstata, mas está claro que os fatores genéticos são importantes, assim como fatores relacionados ao estilo de vida. Parentes em primeiro grau de homens acometidos têm de 2 a 3 vezes mais chance de desenvolver a doença. Por outro lado, uma dieta rica em gordura animal, o sedentarismo e a obesidade têm sido implicados como fatores de risco para o aparecimento da doença.

Outra patologia prostática comum é a prostatite, que é uma inflamação da próstata. Esta inflamação pode surgir de forma aguda, com febre e impossibilidade de urinar e não tem relação com o câncer. Há também as prostatites crônicas, que se manifestam com dor que acompanha a micção. Muitas vezes é difícil diferenciar os sintomas da hiperplasia prostática da prostatite crônica. O tratamento consiste geralmente na prescrição de antibióticos.

Se você tem mais de 40 anos, procure um urologista, mesmo se não tem sintomas. O diagnóstico precoce pode salvar vidas.

Giuliano
Giuliano Aita é médico especialista em Urologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, pós-graduando em Oncologia pelo Hospital AC Camargo de São Paulo , revisor médico do Journal of PostGraduate Medicine e editor da revista Médica do Hospital São Marcos. É docente de Urologia pela Facid e diretor técnico da Uroclin em Teresina (PI).

Autor: Giuliano Aita

COMENTÁRIOS

Enviar Comentário

NOTÍCIAS RELACIONADAS